obrigado1
 
 
QUEM SOMOS | COMO ANUNCIAR | FALE CONOSCO
Destaque: 22/09 |
NOTÍCIAS
 
Moda: ostentação bucal colorida
Novidade - 07/03/2014

O que é de fato estar na moda? É seguir uma tendência? Quem originou essa tendência? Será que é ter algum entendimento cuja expertise, poderia remetê-lo a ocupar um cargo na revista Vogue ou ter um emprego, como Miranda Priestly (Meryl Streep) mostrando toda sua experiência e domínio no assunto, retratada no filme “O Diabo veste Prada”.

Segundo o psicólogo especializado em relacionamentos, Alexandre Bez, “moda é para a pessoa sentir-se melhor e caso queira também, ser inserida mais facilmente em um contexto social ou econômico. Moda não agride, não fere os princípios físicos e principalmente, não afeta a saúde.”

Os jovens são os mais influenciados com essas tendências, por quererem se firmar ou serem aceitos, e é justamente esse fator psicológico deturpado o culpado por gerar uma nova moda chamada “ostentação bucal colorida”. Essa “nova onda” é controversa e perigosa pois afeta a saúde bucal.

"Colocação social elevada" - Se a questão fosse somente uma moda de roupa, seria de fato bem mais fácil de lidar. Mas como estamos falando de uma progressiva destruição bucal, onde o retrocesso é praticamente nulo, pois a vontade de aparecer com aparelhos ortodônticos falsos é tão demasiada, que os mandamentos da verdadeira higiene bucal e a expertise de quem sabe do assunto são desprezados.

Essa nova moda com aparelhos coloridos sem necessidade física só destroem a boca, gengiva, parte óssea provocando a longo prazo a queda dos dentes (processo irreversível) e destaca não só a necessidade psicológica de aparecer, como também certa ingenuidade ao aderir. Por isso mesmo um importante fator a ser trabalhado é a fragilidade do estado mental e a ilusão de que acessórios como estes trarão alguma "colocação social elevada".

“A fantasia de ser alguém será rapidamente substituída pela realidade de não ser ninguém, especialmente quando seus dentes começarem a cair e você mudar de fisionomia. Aparelhos só se colocam nos profissionais habilitados e com indicação ortodôntica, prescrita e avaliada pelo ortodontista. Não há estado mental que não possa ser trabalhado no sentido de corrigir essa ideia delirante.”, finaliza o psicólogo e escritor Alexandre Bez.

 

 

(Foto: reprodução)

 

Este site foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

Permitida a reprodução apenas se citadas a fonte e autoria: www.mococa24horas.com.br

 
 
 Voltar  Topo  Imprimir
 
 
CLASSIFICADOS
booked.net
DINHEIRO
HUMOR
BLOG