obrigado1
 
 
QUEM SOMOS | COMO ANUNCIAR | FALE CONOSCO
Destaque: 27/10 |
NOTÍCIAS
 
Tem talento mocoquense nos 70 anos da TV brasileira
Cidade - 09/10/2020

Esta sexta-feira, dia 18, marca os 70 anos da primeira transmissão televisiva no País, realizada pela TV Tupi, de Assis Chateubriand, em 18 de setembro de 1950.

Presente na vida dos brasileiros e considerado o principal meio de informação e diversão, mesmo em tempos de Internet, a televisão cria memórias, educa, informa, questiona, denuncia, diverte e emociona.

E no campo da emoção, o talento de um mocoquense faz parte desta história, o do ator Rogério Cardoso, falecido em 2003, e que deu vida a pelo menos dois personagens emblemáticos da dramaturgia nacional na televisão, Rolando Lero (foto) (de “A Escolinha do Professor Raimundo”) e Seu Floriano (seriado “A Grande Família”).

De acordo com o site “Memórias Cinematográficas”, editado pelo pesquisador Diego Nunes, “Rogério Cardoso estreou no rádio aos 15 anos de idade, em 1952, como contra-regra. Mas logo passou a atuar em frente ao microfone, onde foi locutor, animador, rádio ator e até cantor de tangos.

Aos 18 anos ele mudou-se para Ribeirão Preto, para cursar odontologia, mas abandonou o curso no segundo ano, para ingressar na rádio local. Em 1958 Rogério Cardoso também ingressou no teatro, e chegou a atuar em mais de 40 peças ao longo da carreira.

Em 1959 tentou a carreira em São Paulo, porém, sem sucesso, retornou a Ribeirão Preto, onde prestou concurso para o Ministério da Educação e passou a dar aulas de português. E para complementar a renda, passou a vender chocolates.

Ao mesmo tempo, continuava trabalhando no rádio, geralmente interpretando papéis de idosos ou padres. Rogerio trabalhava no programa de terror Fronteira do Desconhecido, e certa vez um grupo de fãs foi até a rádio conhecer o elenco. Para surpresa do grupo, Rogério era muito mais novo do que eles imaginavam, e chamou a atenção da fã Darcy, com quem ele viria a se casar.

Foi somente em 1963 que ele ingressou na televisão, estreando na TV Excelsior, onde reencontrou Moacyr Franco, antigo colega da rádio de Ribeirão Preto.

Na Excelsior, Rogério atuou na novela Mãe (1964), ao lado de Lolita Rodrigues e Tarcísio Meira, as destacou-se nos programas humorísticos, como A Cidade Se Diverte, Times Square e principalmente o Moacyr Franco Show.

Mas a fama só chegou quando Rogério Cardoso protagonizou um comercial do carro Variant, em 1969. A publicidade fez muito sucesso, e tornou seu nome conhecido em todo o Brasil.

O sucesso do comercial valeu ao ator um convite para ir para a TV Record, onde participou de programas como Cara ou Coroa e A Praça da Alegria, com Manoel de Nóbrega, onde interpretava um mendigo intrometido.

Em 1979 Rogério foi para a TV Globo, onde trabalhou no programa Os Trapalhões. Depois, fez uma breve passagem pelo SBT, atuando no humorístico Reapertura (1981) e retornou a Globo, onde participou de produções como Viva o Gordo, Chico Anysio Show e Estados Unidos de Chico City. Também atuou na minissérie Hilda Furacão (1998) e novelas A Gata Comeu (1985), Mico Preto (1990) e Explode Coração (1995), fazendo muito sucesso no papel de Salgadinho.

Mas um dos seus maiores sucessos na emissora foi como o personagem Rolando Lero (do famoso bordão "Captei Vossa Mensagem Amado Guru!") na Escolinha do Professor Raimundo, comandada por Chico Anysio.

E apesar de uma longa carreira no teatro e televisão, o ator só faria sua estreia no cinema na década de 90, em Il Barbiere di Rio (1996), um filme italiano, rodado no Brasil. Seu maior sucesso no cinema foi como o Padre João em O Auto da Compadecida (2000). Também atuou nos filmes Boleiros - Era Uma Vez o Futebol (1998), Amor & Cia (1998), Bossa Nova (2000), O Circo das Qualidades Humanas (2000), Samba Canção (2003) e Cristina Quer Casar (2003).

Em 1999, ao lado de Nair Bello, Rógerio Cardoso começou a interpretar o personagem Epitáfio, o marido de Dona Santinha, no programa Zorra Total e em 2001, começou a interpretar o Seu Floriano (Seu Flor), no seriado A Grande Família, remake de um antigo sucesso da década de 70. Foi seu último trabalho como ator.

A carreira de compositor

Pouca gente sabe, mas Rogério Cardoso também foi compositor de alguns sucessos, entre eles da canção Pequeno Mundo, versão brasileira de Its a Small World, sucesso dos parques de Walt Disney, que foi gravada por aqui por diversos artistas, incluindo Moacyr Franco, o maior interprete de suas canções. Artistas como Luciene Franco, Roberto Amaral, Duo Guarujá, Guto Franco e Silvio Santos também gravaram composições suas.”

História da TV brasileira – Segundo os registros da Biblioteca Nacional, “A origem da televisão é polêmica. O engenheiro russo Vladimir Zworykin foi inicialmente apontado como o pioneiro, por ser o inventor do iconoscópio – uma espécie de conversor de imagens e precursor dos televisores – e detentor do registro da primeira patente sobre o invento em 1923. Contudo, após uma batalha judicial, o aparelho desenvolvido pelo estadunidense Philo Farnsworth foi reconhecido como sendo o primeiro televisor, de 1922.

O primeiro registro de um aparelho de televisão no Brasil é de junho de 1939, quando em uma feira, houve a exibição de um aparelho da empresa alemã Telefunken. O início das transmissões de TV no Brasil ocorreu com a inauguração da TV Tupi, na cidade de São Paulo, em 18 de setembro de 1950. Fundado por Assis Chateaubriand, foi o primeiro canal de televisão do país, tendo sua filial no Rio de Janeiro sido inaugurada em 20 de janeiro de 1951. Chateaubriand instalou 200 aparelhos pela capital paulista e foi exibido um show ao vivo – considerado o primeiro programa da televisão brasileira – chamado “TV na Taba”, cuja temática eram os indígenas, que já habitavam as terras brasileiras no período pré-cabralino. O símbolo da emissora era um pequeno índio, que apareceu nas telas anunciando: "Boa noite. Está no ar a televisão do Brasil". Essa é considerada a primeira fala da televisão brasileira, protagonizada pela atriz Sonia Maria Dorce, então com seis anos de idade. O programa teve duração de aproximadamente uma hora e contou com a participação de várias celebridades da época como os atores Mazzaropi, Lima Duarte, Lia de Aguiar e Lolita Rodrigues; os cantores Hebe Camargo, Vadeco, Ivon Cury e Wilma Bentivegna; o jogador Baltazar; e a orquestra de George Henri.

Inicialmente sempre com programas ao vivo, a televisão não contava com propagandas comerciais. Assim, o intervalo entre um programa e outro era preenchido com números musicais, para dar tempo de se modificar o cenário para a atração seguinte. Em 1952, passou a ser transmitido na televisão o noticiário do rádio “Repórter Esso” e no mesmo ano entrava no ar a TV Paulista canal 5, a segunda emissora de televisão brasileira. Em 1953 estreou o programa “Alô, Doçura!”, com os atores Eva Wilma e John Herbert. O programa era apresentado em São Paulo pelo canal 3 e no Rio pela TV Tupi Rio canal 6. Como naquela época não havia vídeo tape nem transmissão direta entre cidades, os artistas tinham que viajar de uma cidade para outra para representar o programa na mesma semana. Em 1955 estreou "O Mundo é das Mulheres" – com Hebe Camargo – considerado o primeiro programa feminino da televisão brasileira. Em 1964, a TV Tupi de São Paulo e a TV Rio se uniram para exibir a novela “O Direito de Nascer”, considerado o maior sucesso da televisão em todos os tempos, com um índice de audiência de 99,75% dos televisores ligados durante o último capítulo. Foi só em 1968 que surgiu a primeira emissora de TV educativa do Brasil: TV Universitária, da Universidade Federal de Pernambuco.

A televisão brasileira só passou a ser colorida na década de 1970. Porém, em 1967, a TV Globo – inaugurada 2 anos antes – fez as primeiras experiências com imagens em cores, utilizando o sistema americano NTSC. No entanto, o governo federal oficializou o sistema alemão PAL-M, proibindo aquele utilizado pela emissora. Em 19 de fevereiro de 1972, foi feita a primeira transmissão colorida – a Festa da Uva em Caxias do Sul (RS) – ainda em fase de testes. Só em 31 de março foi inaugurada oficialmente a TV em cores no Brasil, com um pronunciamento do Ministro das Comunicações.

Em 2 de dezembro de 2007 entrou no ar no Brasil o sistema digital de televisão e a partir de 2016 os sinais de televisão analógica começaram a ser desligados em várias cidades. Nos dias de hoje, com a massificação da Internet, as TVs abertas e por assinatura passaram a disputar a audiência com os serviços de streaming. Essa tecnologia possibilita a pessoas, em qualquer parte do mundo, terem acesso a diversos tipos de conteúdo de diferentes países, 24 horas por dia, e com maior liberdade e flexibilidade de horário.”

 

 

(Foto: TV Globo/divulgação)

 

Este site foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

Permitida a reprodução apenas se citadas a fonte e autoria: www.mococa24horas.com.br

 
 
 Voltar  Topo  Imprimir
 
 
CLASSIFICADOS
booked.net
DINHEIRO
HUMOR
BLOG